Sobre

Meu nome é Felipe Libório, tenho 23 anos e sou formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Trabalhei durante seis meses como produtor do núcleo de rede da Globo em Manaus e cinco meses como repórter freelancer no A Crítica. Durante meu trabalho no A Crítica, tive a honra de escrever ao lado de um colega a série de reportagens especiais “Haitianos: os novos brasileiros”, que tratava da imigração em massa de haitianos para o Brasil (principalmente região Norte) após o terremoto que devastou o país em 2010. A série foi finalista do Prêmio Milton Cordeiro de Jornalismo.

Também trabalhei como voluntário durante dois anos e meio na AIESEC, maior organização gerida por jovens do mundo e que trabalha para desenvolver líderes empreendedores e socialmente responsáveis. Durante o ano de 2012, fui diretor de Comunicação e Marketing do escritório local e, no início de 2013, tornei-me egresso.

Através da AIESEC, eu fiz um intercâmbio de oito semanas em São Petersburgo, Rússia, onde trabalhei como guia e tradutor no Freud Museum of Dreams. Também participei de um projeto de ensino de Artes e arrecadação de fundos para um orfanato da cidade e fiz apresentações sobre realidade e cultura brasileira para estudantes de inglês.

Na Academia, participei de três projetos de extensão, fui membro da organização de dois eventos acadêmicos e participei do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic). Meu trabalho sobre as obras de Joe Sacco, Guy Delisle e Art Spiegelman recebeu uma menção honrosa no Congresso de Iniciação Científica de 2011.

Estas experiências me ajudaram a construir um senso de responsabilidade social, empreendedorismo e busca por novas ideias e modos de trabalho. No futuro, pretendo ser professor universitário e implantar na Academia novas formas de aprendizagem e desenvolvimento de habilidades na área de Comunicação.

Anúncios